fbpx
Generic selectors
Exact matches only
Search in title
Search in content
Post Type Selectors

Podcast da MFIT: confira a entrevista sobre Projeto Verão com o personal Leandro Ferreira

Conheça o podcast sobre Projeto Verão, criado pela MFIT, aplicativo para personal trainer mais bem avaliado do mercado!

Em julho de 2023, a MFIT lançou um podcast e, para a nossa primeira entrevista, trouxemos um convidado muito especial para um bate-papo sobre Projeto Verão.

Confira essa entrevista imperdível que a nossa social media Morgana fez com o personal trainer e nutricionista Leandro Ferreira, e aproveite as dicas preciosas dele para criar e divulgar o seu Projeto Verão!

morgana-bruna-e-leandro-nas-gravações-do-podcast-da-MFIT
Morgana Mellies e Bruna de Paula, da equipe de Mídias da MFIT Personal, entrevistando Leandro Ferreira, personal trainer e nutricionista.

Vem conferir a entrevista do podcast, personal!👇

Morgana: Leandro, antes de começarmos a falar sobre o assunto do podcast, conta pra gente um pouco sobre você e sobre a sua carreira! Como tudo começou?

Então, a minha história com a Educação Física é algo que estava em mim desde criança.

Eu sempre fui aquela criança ativa, que gostava de brincar. Era um gordinho ativo – a gente costuma brincar lá em casa que eu era um gordinho esperto! Fui gordinho porque comia bastante, mas gostava muito de me exercitar, gostava de jogos, sempre gostei muito de competição. Então, eu dançava, eu jogava futebol, jogava vôlei. 

E aí, como eu tinha essa aptidão, quando chegou próximo do período de faculdade, eu falei: “eu acho que eu quero fazer Educação Física, quero trabalhar com isso”.

Aí, fiz o vestibular, passei e entrei na faculdade com dezesseis anos, bem novinho. Eu não tinha muita cabeça ainda… acho que foi cedo até demais!

No início, como a Educação Física é dividida, licenciatura e bacharelado, eu fiz licenciatura. Porém, acabei vendo que não era pra mim dar aula em escola. Eu até tinha essa pretensão quando comecei a faculdade, mas depois que eu conheci o mundo fitness, a academia, comecei a treinar… e falei: “não é isso que eu quero”. 

Então, durante a faculdade, eu mudei de cidade, eu morava no interior e fui pra cidade maior, para começar a fazer estágio com aulas de step e de ginástica localizada, com um professor que me deu a oportunidade de estagiar na na academia dele. 

E, estando na academia, veio essa paixão pela musculação, já no finalzinho da faculdade, e eu comecei a pensar: “é isso que eu quero pra minha vida, eu gosto muito, muito, muito.” Depois que eu introduzi a musculação na minha vida, comecei a pensar: “isso aqui é muito importante, eu posso mudar a vida das pessoas com isso”.

Então, eu terminei a licenciatura, completei mais um ano de bacharelado e, no total, foram quatro anos de faculdade. Aí, depois que eu me formei, já comecei logo a trabalhar como personal trainer: saí da faculdade já empregado nessa academia em que eu fazia estágio e, de lá pra cá, muita coisa mudou. 

Morgana: E, como o personal trainer, você trabalha há quanto tempo?

Leandro: Ah, dez anos. Tem exatamente dez anos, que eu me formei em Educação Física e comecei a trabalhar com isso. E, há cerca de um ano e meio, eu concluí o curso de Nutrição, porque eu senti essa necessidade de agregar, de oferecer um trabalho mais completo, com treino e dieta – um trabalho integrativo, né?

Muita gente acha que vai pagar um personal e ele vai resolver os seus problemas, mas não é bem assim. Então, eu falo sempre para os alunos: eu mostro o caminho, mas é você quem tem que seguir!

Então, a pessoa chega até faz o treino bonitinho, matador, se entrega… mas, dorme mal, come mal, não bebe água… aí, complica, né?

Morgana: E, hoje em dia, você dá consultoria presencial também? Ou trabalha apenas no online?

Leandro: Então, a consultoria entrou na minha vida um pouco antes da pandemia. Eu já dava aula presencial como personal trainer há bastante tempo… e via a necessidade de buscar mais renda, dinheiro mesmo.

No presencial, chega uma hora que você não tem mais hora pra encaixar aluno no seu dia-a-dia! Acaba dando muitas aulas mesmo, acordando de manhã cedo, chegando tarde em casa… e eu pensava: “Eu quero ganhar mais dinheiro. E agora? O que eu posso fazer? O que posso introduzir na minha rotina de personal algo que vai me dar mais dinheiro?” 

Foi quando eu pensei:
” Tem tanta gente bombando na internet, no Instagram… que tal eu ir pra essa área? Será que eu consigo oferecer um trabalho legal, de forma digital… para pessoas que talvez não tenham suporte, orientação ou acesso?”

Um amigo já tinha começado um pouco antes de mim a fazer esse trabalho de consultoria online. Aí, quando fui trocar ideia com ele, ele me deu orientação, me indicou um cara que era mentor nessa área… me joguei! Hoje em dia, é só consultoria online.

Morgana: Então, você não oferece consultoria presencial?

Leandro: Eu ainda tenho alguns alunos que eu digo que são casados comigo e não querem se divorciar, hehe. Eu já até pedi divórcio para alguns, mas eles não querem abrir mão, viu? Então, a gente tem uma relação, um vínculo muito legal, de vários anos!

Mas, já tem cerca de quatro anos que eu tô bem envolvido na consultoria online… e, por isso, tenho mais qualidade de vida, consigo estabelecer melhores horários para minha rotina, não preciso ficar trabalhando até de tarde, o dia todo, doze, quatorze horas. Então, eu consigo suprir as necessidades e ter mais flexibilidade!

Morgana: E, trabalhando na sua casa, você consegue se organizar melhor para fazer as suas coisas? 

Leandro: Sim, minha qualidade de vida melhorou consideravelmente depois que eu comecei a fazer consultoria online. Estou há três, quatro anos trabalhando pela internet e, quando a pandemia chegou, eu já estava preparado, consolidado, tinha meu projeto de consultoria todo estruturado… e pude oferecer suporte para as pessoas imediatamente!

Até porque, tava todo mundo fechado em casa, academia fechada, precisando de saúde física e mental. Então, tive muita procura, pude ajudar bastante gente… acabou a pandemia, mas a consultoria continuou!

O personal tava meio que numa zona de conforto: chega lá, a academia tem estrutura… mas, na pandemia a gente não podia depender do equipamento. Então, se você é personal, é um profissional da Educação Física, estudou biomecânica, entende de corpo… pode sim montar treinos em casa, oferecidos de forma online! Você só precisa colocar os seus conhecimentos em prática, que você consegue oferecer qualidade para as pessoas.

Morgana: Show! Muito legal. E, conta um pouquinho para a gente: como foi aquela história com o padre Fábio de Melo

Leandro: Essa história é muito legal… divertida! Foi assim: eu tava participando de um evento em um resort que fica próximo da cidade onde eu moro. Era um evento da academia que eu trabalhava, em que os professores faziam uma semana temática, com várias aulas de modalidades diferentes. E, quando a gente não estava trabalhando, ia tomar um banho de piscina e pegar um sol. 

Aí, eu tirei uma foto de sunga, sem pretensão alguma, e postei no meu Instagram. E, quando chegou a noite, o meu celular não parava de receber mensagem, mensagem, mensagem, mensagem… pensei: “Meu Deus, o que tá acontecendo? Morreu alguém? Quem será que morreu?” Não queria nem abrir as mensagens.

Descobri que alguém que eu não conhecia e me seguia no Instagram pegou a minha foto, fez um print e lançou ela em um grupo de Facebook com mais de um milhão de pessoas, com a legenda ” Olha o padre Fábio de Melo de sunga”.

E, desse grupo, a foto foi parar em outros grupos, e foi viralizando, foi tomando uma proporção imensa… e eu não tive muito controle, né? Aí, eu decidi surfar nessa onda e me divertir com isso.

Lembro que, na época, o padre falou que se divertiu muito, mas não era ele! que faz cerca de quatro anos mais ou menos. E aí, quando eu vi, a TV local estava na porta da minha casa! 

Saiu várias páginas de fofoca, jornais, enfim, eu ganhei muitos seguidores e engajamento, então foi, foi muito bom! Como eu já estava trabalhando na internet, eu aproveitei, pensei “é agora que eu preciso divulgar o meu trabalho, vender o meu peixe”. Até hoje, vira e mexe alguém me manda algo sobre isso!

Morgana: Muito engraçado, Leandro! E, agora que você se apresentou, vamos falar do assunto do podcast: Projeto Verão! Conta pra gente: quais são os benefícios para o personal trainer que cria um Projeto Verão? 

Leandro: Bom, eu acho que o personal trainer que cria um projeto, seja ele verão ou não, sai da zona de conforto. E isso dá mais possibilidades dele melhorar a carreira, melhorar a carteira de alunos, melhorar financeiramente.

Afinal, é uma maneira que você encontra de atender várias pessoas com nichos diferentes, específicos para dentro, daquilo que cê tá querendo propor para sua carreira, pro seu trabalho.

Então, eu acredito que é uma maneira, uma porta de sucesso para o personal, principalmente pra quem tá começando a carreira agora, que tem dificuldade de captar alunos, que não tem contatos na academia. Por isso, esse tipo de projeto, como é o Projeto Verão, pode ser uma maneira interessante desse cara se consolidar no mercado!

Além disso, chama muita atenção o nome Projeto Verão, porque todo mundo se prepara pro verão, é aquela estação do ano que a galera quer estar magrinho, quer ir pra praia, colocar um biquíni, sensualizar na foto…

Então, é uma oportunidade muito legal para o personal: aumenta muito a procura das pessoas para treinar, para melhorar o corpo e a estética, porque vão viajar, vão pra praia… realmente, tem procura da galera querendo fazer Projeto Verão!

E esse projeto não é muito longo, ele não pode se estender demais. Então, é a maneira que você vai encontrar para captar. Você vai gastar ali uns 21, 30, 40, 60 dias… para tocar esse projeto!

Então, eu acredito que quanto mais próximo do verão, melhor… mas, não pode ser TÃO próximo que não dê tempo também!

Se você faz muito antes e gera um resultado legal, ok, mas aí o verão é daqui alguns meses e se você não consegue fidelizar ele, perde o timing!

Na verdade, todo Projeto Verão pode ser um projeto de vida. Então, se o conceito for bem estruturado e você conseguir captar esse cliente, você vai acompanhar ele, o verão, a primavera, o outono e o inverno. Ela vai pegar gosto pelo exercício!

Na minha concepção, é muito mais que simplesmente ganhar dinheiro fazendo um projeto e atendendo muitas pessoas. O que acontece depois do projeto é mais interessante do que o projeto em si!

logotipo-do-podcast-da-MFIT
O podcast da MFIT será lançado no dia 20 de agosto de 2023.

Morgana: Com certeza! E, como você prepara o seu Projeto Verão? Tem algum passo-a-passo? Algo que você faz para estruturar e conseguir divulgar esse projeto? 

Leandro: Eu já fiz alguns grupos de desafios e projetos temáticos de verão.

E, como isso gera um volume muito alto de pessoas, é importante ter uma estruturação do projeto, tem que ser muito bem planejado!

Então, acredito que, em primeiro lugar, você tem que definir: qual é o público que você quer atingir com esse projeto? Jovens, idosos, mulheres, homens…

E qual é o objetivo? São pessoas que querem emagrecer? Definir o corpo? Ganhar massa muscular?

E aí, depois que você define qual é o seu público, você tem que estudar: entender quais são as necessidades, dores, dificuldades que essas pessoas encontram.

Por que que elas não conseguiram estabelecer uma rotina na academia? O que elas estariam buscando no seu projeto? 

Você pode fazer um questionário, ou usar as enquetes de rede social, do próprio Instagram, para entender essas dores. Particularmente, essa é a rede que eu mais uso para trabalho, porque eu acho que o alcance é legal e já tenho uma boa afinidade, porque uso para trabalho há bastante tempo.

E aí, depois que você definiu o público, pode começar a trazer conteúdo para alcançar essas pessoas, porque elas têm que chegar lá no seu perfil e ver que você é o cara que vai ajudar a resolver o problema delas… tocar exatamente nessa dor delas! Por exemplo, se a pessoa tem dificuldade de emagrecer, temos que postar um conteúdo para essa pessoa.

Aí, depois vem a parte metodológica, né? Que é o objetivo do projeto? Quanto tempo vai durar? é um desafio individual? Vai ser um desafio com várias pessoas em um grupo?

Se vai ser um grupo compartilhado, você vai oferecer suporte individual? O treino vai ser diário? É treino funcional, ou é na academia? Vai ter acompanhamento de nutricionista? Vai ter algum cardápio?

Então, define isso tudo muito claro antes de você pensar em vender, porque a pessoa que estiver comprando vai querer saber exatamente o que você vai oferecer no desafio. 

Então, depois que tudo isso está muito bem definido, muito claro para o cliente, aí sim, vem a parte de execução. Aqui, é importante você oferecer um serviço que realmente consiga entregar, né? Então, não adianta fazer um mega desafio, tentar atender cem clientes, mas aí ficar sobrecarregado e não conseguir dar conta! Esse é um erro que eu assumo que já cometi: conseguir alcançar muitas pessoas e, depois, ter dificuldade para oferecer uma qualidade no serviço.

Então, hoje em dia eu tenho um pouco mais de cuidado em relação a isso, pois quando as pessoas buscam o nosso trabalho, elas querem que as expectativas delas sejam atendidas, elas querem um acompanhamento presente no WhatsApp… e, quanto mais gente tiver para atender, menos você vai conseguir dar uma boa atenção para todo mundo, certo?

Na consultoria fitness, tanto para um projeto quanto para consultoria de longo prazo mesmo, tem que ter uma comunicação muito clara com o seu cliente. Cê tem que falar para ele: “o valor do meu trabalho é esse e eu ofereço exatamente isso, isso e isso.” E aí, com o preço dos seus serviços bem claros, é possível criar uma promoção para vender o seu Projeto Verão.

Nesse tipo de projeto, a gente não pensa muito na capitalização, porque o mais interessante é você mostrar o seu trabalho para as pessoas tentando fidelizá-las, para no futuro elas se tornarem alunas, né?

Então, assim, o preço que você vai colocar geralmente não é alto, porque você ganha mais pelo volume de alunos… e porque o foco é no momento pós Projeto Verão, na fidelização desse aluno depois do projeto… e não no projeto em si!

Morgana: Ótimas dicas que você tá trazendo para esse podcast, Leandro! Você tem alguma dica de como fidelizar os alunos? Recomendações para a parte de atendimento?

Leandro: Quanto mais completo for o seu projeto e quanto melhor for o seu atendimento, maior é a chance de você conseguir fidelizar seus clientes!

Então, eu acredito no poder da simpatia, de responder rápido… e, se você não vai responder rápido, deixar lá uma mensagem automática “eu atendo de tal a tal horário, não posso te responder agora, mas daqui a pouco irei responder com a atenção que você merece”… sabe?

A pessoa se sente cuidada, e hoje a gente quer isso, porque esse avanço tecnológico tornou a nossa geração muito imediatista. Se você manda uma mensagem, provavelmente já quer uma resposta na hora, já quer resolver o seu problema na hora… e nem sempre o personal consegue atender naquele momento.

Por isso, eu uso mensagens automáticas, do tipo “não estou disponível agora, mas em tal horário vou te atender”. Aí, a pessoa já sente aquele conforto, né? Só tem que tomar um certo cuidado para não ficar muito automatizado. 

Além disso, é importante estar ali, acompanhando a evolução do seu cliente e respondendo os feedbacks, porque isso também é bem importante na hora de fidelizar. Saber o que cada cliente gosta e precisa, ajudando ele a ver essa evolução dos resultados. “Ah, eu emagreci”. E aí, como emagreceu? Quanto mudaram as suas medidas, seu peso, altura? Vamos ver como é que a evolução de carga exatamente? Mandar uma foto?

No app da MFIT, dá para ver essa evolução, é maravilhoso, muito completo! Ainda antes da pandemia, eu usava uma plataforma que eu tinha, por exemplo, que fazer a anamnese inicial do aluno em um formulário no Google Forms, tinha que fazer o link de vendas numa página de outra empresa…

Então, depois que eu conheci a MFIT foi fácil, porque eu mando o link, o cara paga, já recebe a avaliação de forma automática, o questionário de anamnese já volta preenchido para mim… facilitou muito a minha vida nesse sentido, né?

E, além disso, a vantagem do aplicativo é que você já oferece o treino para o aluno com o vídeo, consegue colocar séries, repetições, tempos de intervalo, descrição do método, descrição do exercício…

E, se o aluno tem alguma dificuldade de execução, eu peço: “filma esse exercício, quinze segundinhos de execução de frente e de lado, que eu vou fazer uma análise biomecânica e te dou um feedback.”

E aí ele me manda e eu faço as análises, orientações, ajustes. E ainda tem o próprio relatório do aplicativo, com a evolução de cargas e tudo mais, facilitando para o personal!

Morgana: Facilita muito para o aluno executar os exercícios, né? Tipo, cheguei na academia: o que eu faço? Como é que eu vou identificar o aparelho? E daí você entra lá no app e tem um vídeo para ajudar! 

Leandro: Sim, a consultoria online veio para revolucionar mesmo, inclusive o atendimento e a qualidade do profissional de Educação Física.

Isso por que, durante muito tempo, nós éramos vistos como profissionais muito práticos. Mas, desde quando eu tava na faculdade, já tinha percebido que estava tendo uma mudança nisso.

A gente tá se tornando cada vez mais científico, mais técnico, tem cada vez mais informações, mais artigos, mais estudos… para se pautar e respaldar as nossas prescrições!

Além disso, acontece uma grande dificuldade das academias: o atendimento ao cliente não consegue ser eficiente, a academia oferece apenas um ou dois professores para um horário.

Durante dois anos, eu fiz estágio na sala de musculação, mas eu já sabia que, quando eu formasse, eu não ia trabalhar como professor nessa sala… porque eu sou muito perfeccionista e sei que não vou conseguir fazer um trabalho de qualidade dessa situação!

Infelizmente, é muito aluno para atender, muita gente para você corrigir, orientar, passar a ficha… e tem que atualizar a ficha daquela galera o tempo todo… então, é difícil, eu entendo o lado do professor!

E eu entendo o lado do cara que se submete a esse trabalho, porque ele precisa entrar no mercado de trabalho de alguma forma… e aí, se ele não oferece consultoria online, não faz um Projeto Verão… ele vai ter que trabalhar na academia.

Morgana: A gente percebe que essa é uma dificuldade que muitos personais têm – sair da academia e só trabalhar como personal trainer no particular. Como que tu fez pra deixar de trabalhar em academia e ter clientes particulares? 

Leandro: Acho que a sala de ginástica foi bastante importante nesse processo, porque eu tinha contato com muitas pessoas, que já conheciam meu trabalho ali. Há dez anos atrás, o boca-a-boca foi muito importante, não tinha rede social como tem hoje, né? 

Então, um cliente foi indicando para outro… e, como fiquei naquela academia fazendo estágio por 2 anos na sala de musculação, aquelas pessoas já conheciam o meu trabalho.

E, bem nessa época, eu tava em fase de transição, porque morava numa cidade e estava mudando para outra. A cidade onde eu fiz faculdade, Anápolis, é uma cidade legal e tranquila, mas eu sentia que o mercado para limitado. Então, eu queria ir para Goiânia, que é a capital… e aí, eu recebi um convite para trabalhar na rede da Bodytech. 

Aí eu falei “pô, mas eu acabei de formar, tô cheio de aluno como personal trainer, dando aula aqui… e eu vou mudar e começar do zero?” 

Na época, eu tinha vinte anos. Pensei muito, mas decidi dar um passo atrás pensando em dois lá na frente… e foi a melhor decisão que eu tomei na minha vida, com certeza! 

Morgana: Que legal! E qual é o maior erro que o personal trainer comete quando cria um Projeto Verão?

Eu acho que um dos maiores erros é não estabelecer um cronograma do que você quer fazer, ou seja, não estruturar o seu Projeto Verão!

Sem isso, você acaba não sendo claro no que está oferecendo, e o cliente compra o seu projeto com uma outra expectativa.

Aí, você não consegue oferecer aquilo que teoricamente você estava propondo a oferecer, não conseguir fazer um atendimento de excelência, não valorizar o cliente, a pessoa que tá ali confiando no seu trabalho. 

Então, eu acho que o principal erro é não ter uma programação, não tem um cronograma não ter uma estruturação. 

leandro-morgana-e-bruna-nas-gravações-do-podcast-da-MFIT
Leandro Ferreira, personal trainer e nutricionista, durante as gravações do podcast da MFIT, com as social medias Morgana Mellies e Bruna de Paula.

Morgana: E a gente percebe que você é bem ativo nas redes sociais, tá sempre produzindo conteúdo, faz Reels, cria carrossel, abre caixinha de pergunta… o teu Instagram é todo bonito, organizadinho! Como você vê essa parte do trabalho?

Leandro: Quando o personal for estruturar o projeto, é importante pensar:
Que posts posso publicar?
Como que eu vou divulgar o meu trabalho?
Como que eu posso alcançar mais pessoas?

Talvez, fazer alguma coisa adaptando para o meu conteúdo… porque a gente sabe que, no Reels, por exemplo, tem um alcance maior de pessoas. 

É bem importante fazer um planejamento ali para as redes sociais, com certeza.
E, no meu caso, principalmente porque o Instagram é a minha porta de entrada chefe, a vitrine, né? 

Então, ali é onde você mostra o seu trabalho, você vai? Quando alguém indica o meu trabalho, “eu treino com o Leandro”, logo vem a pergunta: “Qual é o Instagram dele?” 

Aí a pessoa vai olhar lá e vai pensar:
“Oh, ele tá treinando, ele posta isso, aquilo, posta informações…”

Então, eu recebo mensagem das pessoas no Direct, dizendo:
“Nossa, acabei de começar a te seguir e vi que seu conteúdo é muito legal e tal.”

Claro, eu faço umas dancinhas lá, mas porque eu gosto de dançar!

Em geral, a minha rotina é muito corrida! Eu sou uma pessoa muito agitada… sempre fui né, né? Então, é consultório de nutrição, é consultoria online, é aluno de personal, tem os meus próprios treinos… tudo isso!

Morgana: E aí, hoje em dia, quando a pessoa vai lá treinar contigo, tu também já faz o acompanhamento nutricional?

Leandro: Eu sentia a necessidade desse acompanhamento nutricional… e nem sempre os profissionais dessa área estavam abertos a fazer esse trabalho multidisciplinar. 

Era uma dificuldade que eu tinha. Falava para o aluno:
“Ah, me passa o contato da sua nutricionista, para a gente conversar, alinhar e tal…””

E nem sempre tinha um feedback muito positivo! Aí eu falava:
“Cara, por que, se eu posso fazer esse trabalho? Eu gosto disso.” 

Então, decidi fazer a faculdade de Nutrição e, depois que eu comecei, gostei bastante, vi que ia ser bom para a minha carreira e para os meus clientes… que eu poderia oferecer um serviço mais completo!

E, para os personais que não fizeram faculdade de Nutrição, dá para fazer um Projeto Verão e chamar um nutricionista como parceiro!

É uma oportunidade que o personal e o nutricionista tem de crescer: os dois vão ter o contato daqueles clientes ali!

E, não necessariamente precisa ser só o nutricionista, pode ter um médico participando, pode ter um fisioterapeuta, pode ter uma outra empresa de estética… vários parceiros que é possível incluir! Quanto mais você puder agregar, quanto mais multidisciplinar for o seu projeto, mais valor você vai entregar. 

Além disso, fazer parcerias melhora os resultados também, porque a pessoa que só treina e não cuida da alimentação não terá um resultado tão bom quanto a pessoa que segue uma dieta junto com o treino certinho…

É exatamente aquele famoso pilar, que parece um clichê, que todo mundo fala:
Tem que fazer dieta, tem que treinar e tem que dormir para se recuperar.
O básico bem feito é o que funciona.

É assim que o nosso corpo funciona.
Ele precisa comer para estar bem, para ter energia.
Ele precisa treinar, porque precisa de estímulos para melhorar e se desenvolver.
Ele precisa descansar para se recuperar.

Morgana: Leandro, eu queria trazer aqui no podcast sobre a importância do personal mostrar para o aluno que ele tem constância nos próprios treinos. Fala um pouco sobre isso?

Leandro: Na verdade, é uma responsabilidade, uma auto-responsabilidade, que a gente acaba aplicando no dia-a-dia porque, querendo ou não, as pessoas se inspiram por nossa causa, né? E, pô, como elas vão treinar com quem não treina, né?

Eu tenho comigo que treinar é muito mais que uma obrigação!
É uma rotina igual a escovar os dentes.
Eu não escovo os dentes todo dia?
Então, tenho que treinar todo dia!

Além disso, quando eu treino, eu me sinto bem, mais disposto… percebo que a minha saúde fica melhor. É por isso que, com motivação ou sem motivação, eu vou para a academia, faço o que tem que fazer… e o dia que eu não faço, eu me sinto mal!

Para muita gente, treinar é uma terapia, né? E tem uma associação fisiológica: treinando, a gente libera hormônios que causam sensação de prazer, de felicidade e bem estar quando a gente se exercita. Então, sim, é a minha terapia!

Morgana: Leandro, tem algum outro profissional da área, ou até mesmo de outra área, que te inspira? 

Leandro: Ah, eu tenho inspiração, sim! Uma profissional que eu gosto e que eu sempre vou citar ela quando me perguntam de referência é a Cida Conti, que é uma professora de São Paulo que foi precursora das aulas de step e de ginástica no Brasil. 

Ela já viajou o mundo todo dando aulas disso! Desenvolveu a metodologia que a maioria das pessoas utiliza hoje no mundo todo para dar aula de step. Então, ela é muito visionária, muito empreendedora. Ela sempre vai ser uma inspiração!

E, de pessoas que eu observo no mercado e vejo que podem ser uma inspiração profissional, eu gosto muito do trabalho feito pelo Márcio Atala. Desde quando ele era personal trainer ele já fazia aquele programa Medida Certa, no Fantástico, há um tempo… e, hoje, ele trabalha mais com palestras. Ele tem um livro e participa de um programa de televisão. 

Para finalizar, eu também acho muito bacana o programa que o Norton Mello desenvolveu durante a pandemia também. Ele fazia aula via live sempre em um horário específico, todos os dias, era ininterrupto, todos os dias mesmo. Ele foi muito visionário… e, depois disso, ele criou uma plataforma que super bombou, é muito legal. 

Eu gosto de ver, eu fico feliz e inspira porque, o cara é personal e, se ele conseguiu, eu também posso! Tem para onde crescer. Pode se destacar. Há espaço para todo mundo!

Morgana: Com certeza, tem!

Leandro: E, também fica mais fácil com a MFIT Personal, que é a plataforma para personal trainer mais completa e mais bem avaliada do Brasil… então, estou lisonjeado pelo convite, foi um prazer imenso estar aqui no podcast com vocês!

Espero ter compartilhado pelo menos um pouquinho de informação que agregue na vida dos outros!

Tem uma filosofia que eu tenho na minha vida, que eu falo para os meus alunos, meus pacientes: não existe sacrifício que não traga benefício.  Por isso, sim, você tem que se doar e se planejar… mas no fim das contas, vai dar certo!

Você realmente está mudando a vida dos seus clientes. Se a gente tem esse poder, tem essa ferramenta… que a gente use isso da melhor maneira possível, né?

Morgana: Eu ia te pedir para deixar uma mensagem no final do podcast… mas, acho que essa última já entregou tudo, né? 

Leandro: Essa frase que eu tenho tatuada no corpo… e está na parede do meu consultório!

É sobre isso: não existe sacrifício que não traga benefício!

Arrase no seu Projeto Verão com o podcast da MFIT

Gostou da entrevista, prof?
Então, receba o nosso podcast na íntegra (em áudio e vídeo):
Clica aqui para receber o podcast no seu e-mail

ouça-agora-o-podcast-da-MFIT

Os trechos dessa entrevista foram editados para oferecer maior clareza na leitura.

➡️ Faça um teste GRÁTIS no melhor aplicativo para personal trainer (sem compartilhar dados bancários) 🔥 http://bit.ly/48nwETx

MARKETING E VENDAS

Como definir meu nicho de mercado!

Para iniciarmos essa leitura gostaria de ir direto ao ponto. Para quem ainda está em dúvida sobre a importância da definição de nicho de mercado, essa pergunta deve ser recorrente: É possível construir uma consultoria sem definir meu nicho de mercado?  O nicho de mercado é o caminho para se

VEJA MAIS >